Discoteca Básica; 'Nevermind the Bollocks, Here's the...', Sex Pistols (1977)



Discoteca Básica; 'Nevermind the Bollocks, Here's the...', Sex Pistols (1977)

Esqueça os escrotos, aqui estão os Sex Pistols" (tradução aproximada) lembra aquele breve período quando o rock, a moçada britânica - e mesmo a sociedade britânica - foram forçados a cair na real. É um documento histórico, já era no dia de seu lançamento. A trilha sonora de um golpe cultural planejado com impressionante atenção a detalhes de promoção e "imagem pública" (a cargo de Malcolm McLaren). 

O som representa uma caricatura do rock. Assim como o caricaturista exagera os traços dominantes de um rosto, os Sex Pistols eliminaram todos os detalhes supérfluos de um gênero musical já pôr demais conhecido, projetando o que restara com uma ferocidade deslumbrante. 

Um som cru e simples. A bateria (de Paul Cook) nada mais do que adequada; o baixo sólido, presente mas sem nenhum destaque (no disco é Steve Jones quem toca). O timbre da guitarra é sujo e até indistinto, com uma acumulação de overdubs (também de Steve Jones) batalhando por espaço - uma guitarra em cima da outra até o som atingir uma força danada mas, mesmo assim, estranhamente impessoal. Cria um clima de música complemente descartável mas que, ao mesmo tempo, pega você pelo pescoço. É um efeito esquisito, fundamental na trajetória da banda. E, acima de tudo, a voz essencial de Johnny Rotten, transmitindo ódio e desprezo levados ao extremo. 

Já as letras carregam uma acusação. São difíceis de traduzir - mil images, uma atrás da outra, com muita gíria e trocadilhos. E eles sabiam chegar na hora certa. "God Save the Queen", pôr exemplo, já havia sido lançada em compacto para coincidir com a celebração do Jubileu de Elizabeth II., e começa assim: "Deus salve a rainha, o regime fascista fez de você um imbecil, bomba H em potencial... Deus salve a rainha, ela não é um ser humano, não há futuro nos sonhos da Inglaterra". (O papel de Sid Viciou na banda era exemplificar este imbecil). Provocação máxima: durante um tempo, Johnny Rotten nem podia andar na rua sem sofrer agressões. 

Criaram também a maior confusão nas negociações com as gravadoras. Estiveram sob comando com a EMI (rescindindo pouco depois) e saíram da A&M antes que as assinaturas tivessem tempo de secar. As rescisões dos contratos deram uma bela grana ao grupo. Referem-se a isso na faixa "EMI" :"E vocês acharam que estávamos fingindo, que nós todos só queríamos dinheiro, vocês não acreditam que somos para valer, ou perderiam sua atração barata - como a EMI". 

Seus alvos eram a complacência e a rigidez não só em formas musicais, como também da sociedade que as valorizava e mantinha. 

Se fosse apenas uma questão de garra e raiva, o disco não apresentaria mais que "um novo marco no rock"; e, no fundo, ele não apresenta mais que a mesma bobagem de sempre. O que tornou a posição dos Pistols improcedente foi que este desprezo estendia-se até ao que eles próprios tocavam. A garra de Johnny Rotten era alimentada pelo ódio ao rock, o que não excluía o som dos Pistols. 


O grupo estava programado para destruir e se autodestruir. 

A tensão sonora vem do fato que explode e implore ao mesmo tempo. Não deixavam ninguém esquecer que, apesar de toda sua intensidade, estavam mesmo era chovendo no molhado. 


Paradoxalmente, foi o que trouxe tanto sucesso. 1976 será lembrado como o ano em que o rock foi ridicularizado ao ponto de se reduzir a uma piada, na Inglaterra. O ano em que toda uma geração foi acordada e ordenada em busca de novas linguagens musicais, e também de novos meios de divulgação que não dependessem do poder das gravadoras. E esses meios ainda estão abertos.

Peter Price (Revista Bizz Número 12, Julho de 1986) 

Curiosidades; Noel Galagher, ex-guitarrista do Oasis, foi entrevistado para um programa de televisão chamado 'Quando Álbuns governaram o mundo', da rede britânica BBC, e disse, "É extremamente provocante. Logo na abertura, assim que começa, todo o resto se torna irrelevante". Sobre 'Pretty Vacant' ele diz; 'É uma das primeira coisas que você deveria aprender quando pegar uma guitarra... Aquele riff!". "Eu sou um bastardo arrogante", ele continua; "Eu fiz dez albums e em nenhum eu consegui chegar nem mesmo perto disso. Daria tudo pra conseguir".

Tracklist;

Lado A
  1. "Holidays in the Sun" – 3:22
  2. "Bodies" – 3:03
  3. "No Feelings" – 2:53
  4. "Liar" – 2:41
  5. "God Save the Queen" – 3:20
  6. "Problems" – 4:11

Lado B
  1. "Seventeen" – 2:02
  2. "Anarchy in the UK" – 3:32
  3. "Submission" – 4:12
  4. "Pretty Vacant" – 3:18
  5. "New York" – 3:07
  6. "EMI" – 3:10


Link para download; 



Mais informações;

Postagens mais visitadas deste blog

Música + Cinema; 'Cadillac Records', (2008) (Torrent Download + OST)

Música + Cinema; 'Some Kind of Monster', Metallica (2004) (Download Torrent)

As Favoritas de... Eddie Vedder (Pearl Jam)