Discoteca Básica; 'Secos & Molhados', Secos & Molhados (1977)


Discoteca Básica; 'Secos & Molhados', Secos & Molhados (1977)

Em plena era repressiva brasileira, nos governos de Médici e Geisel, foi que surgiram aqueles pavões maquiados rebolando e cantando: "Vira homem, vira, vira lobisomem ... ".

Escândalo total! "Bichas" para alguns, "revolucionários" para outros, viraram um dos mais importantes grupos do rock nacional e a maior manifestação glitter do país. E por trás das suas máscaras existia uma singela fusão de MPB, folk, poesia reflexiva e androginia.

Tudo começou em 71: o jornalista e poeta português João Ricardo convidou o músico Gerson Conrad e o hippie e cantor de coral Ney De Souza Pereira para um projeto que queria unir o rock à MPB.A presença cênica exótica e sensual de Ney-que adotou o sobrenome mato grosso, devido ao seu estado de origem-chamou a atenção e o trio foi contratado pelo selo Continental, lançando o primeiro disco em 73. Ali, contaram com uma ótima banda de apoio que incluía Wílly Verdaguer no baixo e Zé Rodrix no piano, ocarina e sintetizador.

Poesias de Vinícius De Moraes ("Rosa De Hiroshima") e de Manuel Bandeira("Rondó Do Capitão") foram utilizadas, mas o forte estava nos depurados vocais de Ney e nos poemas de João Ricardo, que às vezes repartia a autoria com o pai, João Apolinário, e outros compositores. 



As veias abertas da América Latina' eram cutucadas ("Sangue Latino"), questões sociais discutidas ("Mulher Barriguda"), ou então "simples e suaves coisas" eram cantadas em "Amor". "O Vira" - maior hit deles - trazia a ascendência lusitana mesclada ao folclore do Brasil. 

Aqui, a expressão "carreira meteórica" é bem apropriada: em um ano, eles foram o fenômeno musical brasileiro: milhares de cópias vendidas, estádios lotados e até uma turnê pelo México, televisionada para os Estados Unidos - de onde supõe-se que o Kiss copiou as maquiagens deles. Mas, logo após o segundo álbum, o grupo encerrou suas atividades. 
Ney saiu em 74,por discordar de João Ricardo no controle autoral e financeiro.Daí partiu numa bem-sucedida carreira solo,mais voltada para a MPB.Seus outros dois companheiros nunca mais tiveram o mesmo êxito nos esforços individuais.

Em 77,houve uma tentativa frustrada de volta,com o cantor Lili Rodrigues - de timbre semelhante ao de Ney –mas que não vingou,bem como a “reencarnação” de 80,capitaneada novamente por João Ricardo.Afinal,continuar o grupo sem o carisma da sua atração principal,foi como a banda The Doors prosseguindo sem Jim Morrison: João podia ser o cérebro,mas Ney era o coração. 

Sérgio Barbo (Revista Bizz, edição 112,Novembro de 1994) 

Tracklist:

01. 00:00 . Sangue Latino 
02. 02:08 . O Vira
03. 04:23 . O Patrão Nosso de Cada Dia
04. 07:44 . O Amor
05. 10:01 . Primavera nos Dentes
06. 14:52 . Assim Assado
07. 17:52 . Mulher Barriguda
08. 20:30 . El Rey
09. 21:30 . Rosa de Hiroshima
10. 23:32 . Prece Cósmica
11. 25:32 . Rondó do Capitão
12. 26:37 . As Andorinhas
13. 27:37 . Fala



This entry was posted on 17 de ago de 2015 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

Leave a Reply