'The Chess Box', Bo Diddley (1990)



'The Chess Box', Bo Diddley (1990) 

"Bo Diddley", "Bo Diddley is a Gunslinger", "Hey Bo Diddley", "Story Of Bo Diddley", "Bo Diddley's Dog", "BoJam", "Bo Guitar", "Diddley Daddy". Não são títulos de autobiografias, mas canções de um dos papas do rock, blues e rhythm'n'blues. Louvado por Deus e Jesus & Mary Chain, que para ele gravaram "Bo Diddley Is Jesus". Amém. 

Ella McDaniel inventou um músico maior que a pretensão. Ella é ele, Bo Diddley, que aos 16 anos boxeava e ouvia dos fãs: "Go, Bo Diddley". Ele não sabia o que isso significava. Mas gostou do apelido, que virou nome e primeiro compacto, em 55. Também o maior sucesso e faixa que abre The Chess Box, uma caixa de dois CDs com 45 canções, quatro raridades e nove faixas inéditas, junto com um livreto de 24 páginas.

Bo era personagem de si próprio. Criatura maior que o criador. Nascido em 28 de dezembro de 1928, Ella Bates tomou da tia Gussie McDaniel o sobrenome. Com ela saiu do cafundó de McComb, Mississipi. A mãe, pobre, o deixou na mão da tia, que o levou a Chicago e ao estudo do violino clássico, por 14 anos. 

Aos 12 anos ouviu o primeiro disco de blues, num lar envolto na religiosidade do gospel. John Lee Hooker o enfeitiçou. Um ano depois, a irmã Lucille o presenteou com o primeiro instrumento. As luvas de boxe vieram a seguir. Aos 15 anos, Ella era semi profissional e ganhava batendo os trocados para viver. Ganhou nas batidas o apelido de toda a vida. 

Da brincadeira da primeira banda, The Hipsters, ficou o estilingado nas cordas da guitarra. De sons perdidos na memória vieram os tambores da África de sua música. Da amizade de Jerome Green ressoaram as maracas de Cuba na percussão. Das canções de "pergunta-e-resposta" dos shouting blues que ouvia, ecoaram as harmonias vocais, que influenciariam o rap; da guitarra tocada com aulas de violino estalaram os acordes que Bo não soube explicar, do mesmo jeito que não sabe por que é Bo. 

Rolling Stones, Buddy Holly, Animals, Yardbirds, Shadows, Bobby Vee, Eric Clapton, Jimi Hendrix, The Doors, The Who. O "whoÕs who" do rock e blues bebeu das canções e se envenenou no beat da "square guitar", a guitarra retangular que Bo bolou e construiu em 1958. Um instrumento engraçado como o criador. 

Chess Box abre com o groove inconfundível de "Bo Diddley", seu maior sucesso, que chegou ao Top 10 de rhythm & blues em 1955. Punhados de artistas dariam a alma e os bolsos pelo lado B do compacto de estréia, o escorregadio blues "I'm A Man". "Pretty Thing" deu nome a uma banda inglesa dos anos 60. "Who Do You Love?" pergunta e tem como resposta os suspiros das muitas senhoras Diddley. "Before You Accuse Me" é outra paulada bluesy. 

O primeiro CD, que compreende canções de 55 a 59, tem três inéditas, que são versões alternativas para jóias lascadas como "Bring It To Jerome". O segundo disco começa ainda em 59 e chega até 68, com o tema "Bo Diddley 69". Não, apesar dele, não é sacanagem. A canção já era influenciada pelo soul da Motown e com batidas da Stax. Duas das tantas gravadoras que vivem dos ecos de Diddley. Mas que esquecem que ele está vivo. 

Mauro Beting (Revista Bizz, edição 88, Novembro de 1992)

Tracklist;

Disc: 1 
1. Bo Diddley 
2. I'm a Man 
3. You Don't Love Me (You Don't Care) 
4. Diddley Daddy 
5. Pretty Thing 
6. Bring It to Jerome [Alternate Take] 
7. Bring It to Jerome [Master] 
8. Diddy Wah Diddy 
9. I'm Looking for a Woman 
10. Who Do You Love? 
11. Down Home Special 
12. Hey! Bo Diddley 
13. Mona 
14. Say Boss Man 
15. Before You Accuse Me 
16. Say Man 
17. Hush Your Mouth [Alternate Take] 
18. The Clock Strikes Twelve 
19. Dearest Darling [Alternate Take] 
20. Crackin' Up 
21. Don't Let It Go (Hold on to What You Got) 
22. I'm Sorry 
23. Mumblin' Guitar 
24. Story of Bo Diddley 

Disc: 2 
1. She's Alright 
2. Say Man, Back Again [Alternate Take] 
3. Roadrunner 
4. Spend My Life With You 
5. Cadillac 
6. Signifying Blues [Extended Version] 
7. Deed and Deed I Do 
8. You Know I Love You 
9. Look at My Baby 
10. Ride on Josephine 
11. Aztec 
12. Back Home 
13. Pills 
14. Untitled Instrumental
15. I Can Tell 
16. You Can't Judge a Book by Its Cover 
17. Who May Your Lover Be 
18. Greatest Lover in the World 
19. 500% More Man 
20. Ooh Baby 
21. Bo Diddley 1969 



Mais informações;

This entry was posted on 7 de mar de 2016 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

Leave a Reply