Discoteca Básica; 'Songs for young Lovers', Frank Sinatra (1954)


Discoteca Básica; 'Songs for young Lovers', Frank Sinatra (1954)


Quem foi o dono da voz suprema da música popular americana do século 20? Alguns podem dizer que foi Elvis Presley, outros apostam em Louis Armstrong ou Billie Holliday. Mas os louros devem ficar mesmo para Frank Sinatra, que tombou aos 82 anos no último 14 de maio. 

Sinatra foi um dos mais convincentes intérpretes de todos os tempos. Foi quem primeiro entendeu (depois de Bing Crosby) que o microfone não servia apenas para amplificar a voz, deveria ser usado como um instrumento. The Voice passava todas as sutilezas e implicações emocionais que cada canção exigia. Não por acaso, foi por meio de Sinatra que o grande público passou a conhecer e a compreender boa parte dos standards da canção americana. 

 É difícil pinçar de uma carreira que durou 50 anos um disco-chave para definiir a arte de Frank Sinatra. É sabido, porém. que a melhor fase do cantor é a da gravadora Capitol, por onde gravou entre os anos de 1953 a 1959. Naquela época ele recuperou-se de um período de baixa (chegou até a ser dispensado do selo Columbia) e passou a mostrar maturidade como vocalista. 

Songs For Young Lovers, lançado em 1954, mudou a indústria do disco. Este foi o primeiro LP de Sinatra (originalmente lançado em 10 polegadas) e também marcou o início de sua associação com o lendário arranjador Nelson Riddle. Introduzidos no mercado nos anos 40, os long-plays até então não passavam de amontoados de canções juntadas sem maiores preocupações com coerência. 

Sinatra, Riddle e o produtor Voyle Gilmore decidiram que esse formato deveria ter tratamento especial. E assim surgiu este que pode ser considerado um dos primeiros trabalhos conceituais da história do pop: todas as canções foram escolhidas de acordo com um tema. 

Riddle convocou uma pequena orquestra com dois saxofones, um quarteto de cordas e uma sessão rítmica. O resultado foi um trabalho intimista, com toques sutis de jazz. Sinatra simplesmente reinventou algumas das mais conhecidas canções americanas, como "My Funny Valentine" (de Richard Rodgers e Lorenz Hart, também gravada por Chet Baker), "I Get A Kick Out Of You" (de Cole Porter) e "They Can't Take That Away From Me" (de George Gershwin). Sinatra canta todas as sílabas com precisão e vai fundo nas interpretações - o ouvinte tem a impressão de que ele viveu todas as emoções descritas nas letras. A capa é clássica: mostra Sinatra, o eterno romântico, de cigarro na mão, embaixo de um poste de iluminação, observando os casais passando. 

Quem conheceu The Voice velho e com a voz baleada cantando o tema de "New York New York" talvez não tenha noção do que ele representa para a cultura americana. Songs For Young Lovers é uma pequena fração do melhor de quem foi o maior. 


Paulo Cavalcanti (Revista Bizz, edição 155, Junho de 1998) 

Tracklist;


  1. "My Funny Valentine" (Richard RodgersLorenz Hart) – 2:31
  2. "The Girl Next Door" (Ralph BlaneHugh Martin) – 2:38
  3. "A Foggy Day" (George GershwinIra Gershwin) – 2:39
  4. "Like Someone in Love" (Jimmy Van HeusenJohnny Burke) – 3:10
  5. "I Get a Kick Out of You" (Cole Porter) – 2:55
  6. "Little Girl Blue" (Rodgers, Hart) – 2:54
  7. "They Can't Take That Away from Me" (George GershwinIra Gershwin) – 1:58
  8. "Violets for Your Furs" (Tom AdairMatt Dennis) – 3:05


This entry was posted on 12 de dez de 2016 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

Leave a Reply