Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

Desconstruindo o Pop! Playlist 98; 'Then the opportunity has passed. Your dreams flare up, they suddenly vanish...'

Imagem
Desconstruindo o Pop! Playlist 98; 'Then the opportunity has passed. Your dreams flare up, they suddenly vanish...'
01. 'Brackett, WI', Bon Iver 02. 'Sometimes it Happens', Wilco 03. 'San Pedro', Mogwai 04. 'The Suburbs', Mr. Little Jeans 05. 'You Are My Angel', Horace Andy 06. 'Not Fade Away', Florence + the Machine 07. 'I've Been Loving You Too Long', The White Stripes 08. 'The Bottle', Gil Scott-Heron & Brian Jackson 09. 'I am the Cosmos', Chris Bell 10. 'Long Flowing Robe', Todd Rundgren 11. 'I Can see Through You', The Horrors 12. 'If Only Tonight We Could Sleep', The Cure 13. 'An End Has No Start', Editors 14. 'Little Black Dress', Gavin Friday 15. 'City Lights', Husky Rescue 16. 'Sweet Tender Hooligan', The Smiths 17. 'One', Moving Panoramas 18. 'Late in the Day', Supergrass 19. 'Star Sign', Teenage Fanclub 20. 'Go Slowly', …

Disco da Semana; 'Diamond Dogs', David Bowie (1974)

Imagem
Disco da Semana; 'Diamond Dogs', David Bowie (1974) Os jovens que acreditam que Lady Gaga inventou as regras para fazer um disco megalomaníaco certamente não ouviram este disco de David Bowie com a devida atenção! Se é que ouviram ou sabem da importância de Bowie para a música do planeta… Diamond Dogs, lançado pelo astro inglês em 24 de Abril de 1974, não é apenas uma das maiores pirações musicais de Bowie, mas também se trata de um dos discos mais comentados de toda a história da música! Antes de apontar os mitos e os fatos em torno deste clássico que completa 40 anos neste mês de abril, é preciso pensar o seguinte: qual era a pele que revestia o camaleão em 1974?
Bowie tinha “assassinado” Ziggy Stardust em cima do palco do Hammersmith Odeon, em julho de 1973. Gravou um delicioso disco de covers (Pin-Ups) para tentar se livrar do alienígena-personagem que encarnara com tamanha perfeição.Hunky DoryeThe Man who Sold The Worldjá tinham se tornado figuras de um passado distante. Den…

Favorito da Casa; PJ Harvey (Dorset, Inglaterra)

Imagem
Favorito da Casa; PJ Harvey (Dorset, Inglaterra)

Polly Jean Harvey é a porta voz das agruras femininas que foi seduzida pelo sexo oposto. De baranga pouco depilada no início dos anos noventa, passando por Blueswoman suja até se transformar na sexy poetisa que escreveu seu melhor álbum longe de casa, ela navegou por mares nervosos. Atravessou o Punk pela porta da frente e, mais velha, se reencontrou, consumida por crises de identidade, em um fantasma que uiva memórias e opiniões.
No seus dois primeiros trabalhos, 'Dry' e 'Rid of Me', Harvey liderava um power trio de Punk/Blues sujo e raivoso. Depois, atirou para o experimentalismo de 'To Bring You My Love' e no desesperado 'Is This Desire?', disco que veio após uma crise existencial que quase a levou para um convento nos confins da Inglaterra.
Renascida e poderosa, Polly soltou dois dos seus melhores rebentos, o sexy-pop 'Stories From The City, Stories From The Sea' e 'Uh Huh Her', que são, …

Moving Panoramas (Austin, Texas)

Imagem
Moving Panoramas (Austin, Texas)
O Moving Panoramas vem de Austin, umas das mecas da música americana e é um trio indie shoegaze afetando suavemente por uma guitarra pop e que  esconde uma horrível série de eventos que levaram à sua criação. 
Formada em 2011, a banda consiste em Leslie Sisson (vocais e guitarras), Rozie Castoe (baixo), Karen Skloss (bateria) e se reuniu após alguns trágicos eventos em suas vidas particulares, tais como sequestro, suicídio e overdoses. Encarado com um escape, a banda encontrou seu caminho numa combinação entre os anos noventa e sessenta e é um dos bons nomes para prestarmos atenção esse ano...
Confira a página da banda no Soundcloud e o vídeo para 'One';



Mais informações;
Official Website

Discoteca Básica; 'The Best of Blondie', Blondie (1981)

Imagem
Discoteca Básica; 'The Best of Blondie', Blondie (1981)
Mais que um dos pioneiros da cena punk nova-iorquina, o Blondie poderia ser lembrado como o grupo "da" Blondie, aquela loira - falsa - que construiu um mito maior que muitas das originais: Debbie Harry. Seria injusto não ressaltar o trabalho de seu companheiro, guitarrista e diretor musical do sexteto, Chris Stein, bem como o do tecladista Jimmy Destri e do baterista Clem Burke, mas a coisa sempre girou em torno do carisma de Debbie.
Nascida Deborah Ann em Miami, de pais desconhecidos, ela foi adotada pelo casal Harry e cresceu em Nova Jersey. Em 66, aos 21 anos, estrearia com a banda Tri Angels e um ano depois teve a confirmação espiritual definitiva de sua tendência para o palco ao assistir à expiação musical de Janis Joplin no teatro Anderson, de Nova York. Chegou a gravar um álbum em 68, com o grupo de folk rock Wind In The Willows, mas precisou diversificar suas atividades - foi garçonete do Max's Kansas…

O Mundo Maravilhoso das Capas de Discos; 'The Free Wheelin’ Bob Dylan', Bob Dylan (1963)

Imagem
O Mundo Maravilhoso das Capas de Discos; 'The Free Wheelin’ Bob Dylan', Bob Dylan (1963)
Foto e design de Huntstein
"Conhecê-la foi como entrar em contos de 1001 noites árabes. Ela tinha um sorriso que poderia iluminar uma rua cheia de gente". Assim Bob Dylan descreveu Suze Rotolo, então sua namorada, na auto-biografia 'Crônicas'. Ela que está na foto com ele na capa. A foto foi tirada por Don Hunstein sem nenhuma intenção de ser usada comercialmente. Ela foi tirada em fevereiro de 1963, algumas semanas após dela ter retornado da Itália, na esquina da Jones Street e West 4th Street,  no West Village em Nova Iorque, perto do apartamento onde moravam. 


Em uma entrevista de2008, Rotolo descreveu as circunstâncias que cercam a famosa foto ao jornal The New York Times; 'Ele usava um casaco muito fino, porque a imagem era tudo. Nosso apartamento estava sempre frio, então eu tinha um suéter. Porém, como pertencia a ele, era muito grande e volumosa. Me sentia como u…

Torres (Nashville, Tennessee, US)

Imagem
Torres (Nashville, Tennessee, US)
Nashville é a terra da música. Chamada assim mesmo sendo em sua maior fonte de material relacionado a música Country americana. E de lá, uma voz ríspida e sexy emergiu em 2013. Torres.
Torres?
Torres é o pseudônimo de Mackenzie Scott, natural de Macon, na Geórgia, ela migrou para a terra das botas de cowboy quando foi cursar a Universidade de Belmont, em 2012. 
Ainda nesse período universitário, ela gravou seu primeiro álbum, auto-intitulado, no início de 2013, de onde começou a chamar a atenção com 'Honey', que fez parte de diversas listas de melhores daquele ano.
Esse ano, veio o segundo álbum 'Sprinter', que traz uma sonoridade um pouco mais sofisticada em relação ao primeiro rebento. E, claro, as comparações começaram a pipocar; PJ Harvey e Shirley Mason (Garbage) surgem naturalmente, mas imaginem essas cantoras de uma maneira mais simples e rasgada, sem superproduções e hiperbolismos. 
Confira 'Strange Hellos';

Mais informações;
 …

Discoteca Básica; 'The Lamb Lies Down on Broadway', Genesis (1974)

Imagem
Discoteca Básica; 'The Lamb Lies Down on Broadway', Genesis (1974)
Esta é a terceira vez que um grupo progressivo "clássico" chega à Discoteca Básica. Por mais controversa que seja a posição deste "movimento" dentro da história do rock, ele marcou seus tentos. "The Lamb Lies Down On Broadway" faz parte do score favorável ao time dos dinossauros.

Antes de "The Lamb...", o Genesis já havia superado sua imagem de mera college band inglesa dos anos 70 com "Nursery Crime", em que estabeleceu as coordenadas de seu estilo particular a partir da formação mais consistente do grupo - Peter Gabriel (voz, letras), Steve Hackett (guitarra), Phil Collins (bateria), Michael Rutherford (baixo) e Tony Banks (teclados). Este estilo, para quem gosta de etiquetas, carregaria sem problemas a marca de "rock programático", ou seja, uma música de intenções pop inspirada por uma idéia não-musical, uma espécie de descrição de images elaborada a…

Desconstruindo o Pop! Playlist 96; 'Ninety-Seventy-Seven'

Imagem
Desconstruindo o Pop! Playlist 96; 'Ninety-Seventy-Seven'
01. 'I Feel Good', Al Green 02. 'Here He Comes', Brian Eno 03. 'Sound and Vision', David Bowie 04. 'I Love to Boogie', T-Rex 05. 'Why Oh Why Dub', Horace Andy 06. 'London's Burning', The Clash 07. 'Some Weird Sin', Iggy Pop 08. 'Cretin Hop', The Ramones 09. 'Take It or Leave It', The Runaways 10. 'The Book I Read', Talking Heads 11. 'Bodies', Sex Pistols 12. 'Hit the Road and Go', Johnny Cash 13. 'Lay Down Sally', Eric Clapton 14. 'Good Lovin' Daddy', Mavis Staples 15. 'Celebration Day', Led Zeppelin 16. 'Little Red Rooster', The Rolling Stones 17. 'I'll Be Your Baby Tonight', Marianne Faithfull 18. 'Memories', Leonard Cohen 19. 'Little Girl Blue', Nina Simone 20. 'You Gotta Make it Through the World', Van Morrison

'Ninety-Seventy-Seven' from marcioguariba on 8tra…

Disco da Semana; 'Achtung Baby', U2 (1991)

Imagem
Disco da Semana; 'Achtung Baby', U2 (1991)
Dezembro de 1989. Dublin, Irlanda. Num dos últimos shows da "Lovetown Tour", que divulgou o comercialmente bem sucedido, mas massacrado pela crítica, "Rattle And Hum", o U2 toca um set list coeso, impecável e enfadonho. Cheio de hits, emanando a cultura americana, o U2 tinha se tornado uma banda enorme. Destinada a se tornar um dinossauro. Se colocando num pedestal de gente que estava no passado. E uma banda com dez anos de vida, que já tinha alcançado tudo o que seria possível até então, estava apenas contando as doletas e se preparando para um futuro medíocre e repetitivo. Como o Queen durante os anos oitenta; Ou os Stones nos anos oitenta e noventa... Não seria cedo demais?

Mas numa música daquele show, talvez algo estivesse nascendo; "God Part Two", pretensiosa 'continuação' de uma das mais memoráveis e controversas canções de Jonh Lennon, uma frase chamava a atenção;
"Don't…